Reverendo Henry James Prince

Na Inglaterra de 1840, o ex reverendo anglicano Henry James Prince fundou sua própria igreja baseada nos fiéis que reuniu na paróquia de Charlinch, no condado de Somerset, de onde fora expulso sob acusações de ter seduzido algumas das paroquianas. Devido à sua facilidade no campo da oratória, seu séquito crescia dia a dia, enquanto, em sua pregação, ele afirmava ser um enviado de Deus, um homem perfeito, incapaz de cometer um pecado. Tempos depois, com a finalidade de confiscar os bens de seus discípulos, já que a paga pela imortalidade era representada pela riqueza material de cada um, Prince criou a Agapemone ou Morada do Amor, em Spaxton, Somerset. imageFKHO "iluminado" continuava praticando seus dotes de conquistador e seduzindo várias de suas seguidoras; embora casado, apaixonou se por uma órfã de 15 anos e tornou a sua amante. Da união nasceu uma criança e alguns de seus seguidores começaram a duvidar dos poderes do ‘Amado’ como ele se autodenominava. Mais tarde, familiares das mulheres seduzidas moveram ações contra Prince, exigindo seus bens de volta, o que obrigou o a conter gastos na Morada do Amor.

image5IB 

Em 1899, ao falecer como um reles mortal, Prince que se dizia favorecido pelo dom da imortalidade   decepcionou ainda mais seus seguidores. Providencialmente, um dos discípulos tratou de encontrar outro messias com as mesmas características, elegendo um outro clérigo da Igreja anglicana igualmente famoso por seus discursos e sua habilidade no trato com o sexo oposto. Assim, John Hugh Smyth Pigott assumiu a direção da Morada do Amor e logo criou um Círculo Superior composto por 50 noivas da alma, suas amantes. Pelo que se sabe da história, a única pessoa a ser considerada uma agapemonita ao pé da letra foi a esposa de Smyth Pigott, Catherine, que visitava idosos e enfermos e distribuía donativos aos pobres. 

Com a morte de Smyth Pigott, em 1927, a comunidade, duplamente decepcionada, sobreviveu por mais 30 anos; depois, converteu se numa espécie de hospedaria.

Nos Estados Unidos, em 1840, John Humphrey Noyes criou, em Nova York, a Comunidade de Oneida, que tinha por princípio o amor livre entre as pessoas. Segundo Noyes, a conversão ao cristianismo nos brindaria com uma bênção através da qual nos tornaríamos incapazes de pecar, e por isso a promiscuidade era permitida. Porém, em sua ânsia de criar uma raça superdotada, Noyes impunha alguns pares temporais, embora os frutos dessas uniões fossem criados pela comunidade, ignorando o sentimento de pai e mãe. 

image9HDO grupo, conhecido como os perfeccionistas, era trabalhador e próspero e seguiu acumulando bens. Em 1880, o caráter filosófico desapareceu e a comunidade de Oneida passou a funcionar como uma empresa, assumindo dessa maneira seu caráter materialista. Veja mais aqui.

Uma resposta to “Reverendo Henry James Prince”

  1. Unknown Says:

    Eu hein, cada caso que tá loko! como é fácil se aproveitar da ingenuidade das moçoilas!50 noivas?? será que ele usava um viagra natural? morada do amor: tssc, tssc!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: